We use cookies to ensure that we give you the best experience on our website Learn more

Home

Saved research

Submission

06 - Histórico e panorama atual do Pagamento de Serviços Ambientais no Estado de São Paulo: uma visão prospectiva para o Brasil

Submitted

9 Views
0 Downloads
0 Saves

Presented at

XXV IUFRO WORLD CONGRESS

-

Presentation

thumbnail

Abstract

Pagamento de Serviços Ambientais (PSA) é um instrumento de política florestal que remunera, pecuniariamente ou não, prestadores de serviços ecossistêmicos que propiciem suporte para atividades econômicas. Serviços ecossistêmicos [de provisão (água limpa, madeira, peixe), de suporte (biodiversidade, fotossíntese, formação do solo), de regulação (ar limpo, estoque de carbono, clima, purificação da água) e culturais (estética, recreação, educação)] são benefícios que as pessoas obtêm dos ecossistemas. Serviços ambientais são os serviços ecossistêmicos obtidos por iniciativas antrópicas que impactam positivamente os ecossistemas. O PSA é um instrumento econômico, mas integra-se também aos de comando e controle, de mercado e voluntários. Em São Paulo, o PSA está originariamente atrelado à Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCC-Rio 92), à Lei n. 12.187/2009 (Política Nacional sobre Mudança do Clima), à Lei n. 13.798/2009 (Política Estadual de Mudanças Climáticas) e ao Decreto n. 55.947/2010 (regulamento paulista). O PSA paulista tem origem na mitigação das mudanças climáticas globais e no Programa de Remanescentes Florestais, sendo pautado na restauração da vegetação nativa e no reflorestamento visando a absorção e fixação de carbono e na biodiversidade. À estratégia paulista (e mesmo nacional) do PSA devem ser fortemente agregados, conforme previsão legal, mecanismos financeiros de liquidez para antecipar o retorno dos investimentos para plantio de essências florestais nativas com potencial de exploração econômica. Para tanto, deve-se também consolidar: i) exploração de produtos madeireiros e não madeireiros; ii) exploração econômica de florestas nativas implantadas; iii) SAF´s e sistemas de iLPF, e; iv) manejo de culturas e plantações florestais que favoreçam o desenvolvimento de vegetação nativa em sub-bosque, sem prejuízo da colheita da produção ou do corte da floresta plantada.

Datasets

No datasets are available for this submission.

Morressier

Company

Legal

Follow us

© Copyright 2020 Morressier GmbH. All rights reserved.

Morressier

© Copyright 2020 Morressier GmbH.
All rights reserved.